Arquivo da tag: Sertãozinho

Corinthians x Ídolos

Esse tipo de jogo só merece comentário quando o time grande perde, empata ou vence pelo placar mínimo com gol roubado. Golear o Sertãozinho é obrigação.

Olhe o time: Luiz Henrique; Ricardo Lopes, Erivelton, Pablo e João Paulo; Magal, Marcus Vinícius, Everton e Harison (Adoniran); Léo Mineiro (Washington) e Mendes (Waldir)

A escalação do Touro dos Canaviais me fez lembrar o programa “Qual é a música”, que minha vó Nair não perdia um. (H)Erivelton, que trocou Dalva pela aeromoça Lurdes. Pablo, o lendário dublador. Magal, que vive a sonhar com Sandra Rosa Madalena. O saudoso João Paulo, “estou apaixonado …”. Para completar, ele, Adoniran, nascido no ano da graça de 1910 em Valinhos, o paulista, filho de italianos e ex marmiteiro que, diiiizem, ensinou o samba ao Rio de Janeiro. Meu Deus, exclamação. Um time de estrelas.

Nessas horas, o que se deve observar é que Dentinho e Iarley, que a imprensa corintiana ousa chamar de craques, não marcaram. Até o trio Robert, Joãozinho e Lovinho, comandados por Muricy, fariam.

O único Sertãozinho que presta é o time de hóquei, por onde jogaram verdadeiros ícones do esporte, como Victor Santos, o Pelé dos patins, que marcou mais de 1.000 gols. Quem não se lembra do mundial de 1986 no interior paulista (em 2011, repeteco).

De minha parte, tchau.

Por Primo Argentino, Adoniran é melhor que Vinicius

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Corinthians

André Dias e o “capo di tuti capi”

Pior que empatar com um gol contra aos 48 min do segundo tempo contra o “rebaixável” Sertãozinho, é a notícia da saída de André Dias.

Não que seja um fenômeno insubstituível, mas a regularidade apresentada na última temporada é elogiável.

Não obstante faço questão de lembrar a todos de uma falha grotesca do jogador no último “majestoso”, onde o medo de Ronaldo era tanto que protagonizou um lance pusilânime, que para os mais pessimistas, significou a perda do título do Brasileirão de 2009.

Enfim, pelo que ganhava, comparado com o que produzia, um bom negócio tê-lo.

Relevante na transação com a Lazio o valor do negócio: meros 2,5 milhões de euros. Diiiiizem que Fábio Simplício foi por 4 milhões. Meu Deus, exclamação.

Diiiiiizem também que André Dias está satisfeitíssimo por ir jogar num grande clube europeu. Agora, a Lazio é grande, interrogação.

Grandes foram as tramóias de seu dono, o “capo di tuti capi” do Grupo Cirio, Sergio Cragnotti: falência fraudulenta, ludibriação de investidores, transferências suspeitas, não pagamentos de bônus…até na CPI do Banestado o sujeito apareceu….Meu Deus, que chefe.

São 2,5 milhões de euros. Por dentro. Mas, em se tratando de Cragnotti, tem parcela por fora, interrogação.

Não sei se Cragnotti ainda é o “capo”. Se for, boa sorte André. Você vai precisar.

Por Jota Barros, pena que não foi o Jean.

7 Comentários

Arquivado em Paulista, São Paulo