Arquivo da tag: Seleção

A queda de Julio Cesar

Acaba de terminar um jogaço. Roma e Inter. Vitória do time do craque Rodrigo Taddei, que deu o “passe” para o gol da vitória da equipe da Roma. Derrota do time do goleiro da seleção brasileira, o bom, e nada mais do que isso, Julio Cesar. O resultado esquenta a disuta pelo título do campeonato italiano. A diferença entre as duas equipes agora é de apenas 1 ponto.

O destaque da partida foi Juuuuuuuuuuuuulio Cesar, como diria seu maior fã, o azêmola Galvão Bueno, que revela orgasmos quando narra alguma defesa do ex-goleiro do Flamengo (assista ao vídeo e afaste sua dúvida). Levou um peru no primeiro gol da equipe da Roma. Provavelmente a Rede Globo não irá mostrá-lo ou enfatizá-lo no Jornal Nacional de hoje. Assim como já faz um bom tempo que não mostra nada sobre Ronaldinho Gaúcho e a farsa de sua tal excelente fase. Ele, Leonardo e Alexandre Pato afundam cada vez mais a equipe do Milan.

Por falar em farsa, começou a pouco o jogo entre Palmeiras e Mirassol. Já está 1 x 0 para o Palestra. Gol do Robert. Joga muito esse rapaz.

Em tempo: assista abaixo o frango de Julio Cesar. Mas o melhor mesmo é a narração. Será que o  narrador torce para a Roma, interrogação:

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Seleção

Negociatas FC

Sabe o Sandro? O Sandro, volante do Internacional? Não conhece? Não tem problema. Não se sinta por fora. Só quem conhece o Sandro é o Dunga e a torcida do Internacional. O mesmo Internacional que revelou o volante Edinho Cacetada, tristeza de jogador que Muricy Ramalho recomendou e o Palmeiras contratou. Aliás, Sandro foi o substituto do Edinho no time colorado.

Pois então. O Sandro foi vendido para o Tottenham da Inglaterra, onde para  um jogador estrangeiro jogar é necessário ter atuado na seleção do seu país. E por incrível que pareça Sandro atende a esse requisito. Foi convocado no ano passado pelo técnico Dunga para os jogos contra a Argentina e Chile pelas Eliminatórias. Depois disso nunca mais foi lembrado. E provavelmente nunca mais será.

A história se repete. Jogador de qualidade discutível com proposta para jogar na Liga Inglesa é convocado por Dunga a fim de cumprir a condição imposta para jogar na Inglaterra. Foi assim com Afonso Alves. Artilheiro na Holanda e com proposta do Middlesbrough, Afonso foi convocado por Dunga até o momento em que fechou com o clube inglês. Depois disso nunca mais foi convocado. Coincidência? Pouco provável.

Só sei que se fosse o (ex)trategista Vanderlei Luxemburgo que fizesse isso a imprensa cairia matando.

3 Comentários

Arquivado em Seleção

Nem Jesus salva

Ontem a casa caiu para duas grandes estrelas do futebol brasileiro: Ronaldinho Gaúcho e Kaká. Grandes estrelas somente no nome, pois dentro de campo estão devendo há bastante tempo.

O primeiro até vem tentanto mostrar alguma coisa para convencer o técnico Dunga a levá-lo para a Copa do Mundo. A cada 5 partidas ele consegue fazer um golzinho e algumas jogadas de efeito, lances que são mostrados insistentemente pela mídia brasileira a fim de aumentar a pressão por sua convocação. Só não entendo qual o interesse por trás disso.

O problema é que Ronaldinho só consegue emplacar esses lances em jogos irrelevantes contra  times inexpressivos como o Siena, Bologna e Atalanta, que se jogassem o campeonato carioca teriam dificuldades para ganhar até  do simpático Bangu. Quando o Milan precisou realmente de Ronaldinho ele nada fez. Foi assim no clássico contra a Inter, quando se disputava a ponta do campeonato italiano. E ontem isso se repetiu na Liga dos Campeões da Europa. O Milan levou um sarrafo do Manchester United e foi eliminado da disputa. Ronaldinho apagadíssimo.

Ou seja, se Dunga ceder e resolver convocar Ronaldinho para a Copa do Mundo, deve saber que o jogador vai ser muito útil contra a Coréia do Norte, time que deve ser um pouquinho melhor do que o Sertãzinho. Dunga só não poderá contar com Ronaldinho quando o jogo valer realmente alguma coisa. E não falo isso considerando apenas as últimas temporadas do craque do Viaduto do Chá. Ele já foi para duas Copas do Mundo e não fez absolutamente nada, salvo um gol de falta sem querer contra um goleiro que, pela idade avançada, sofria de osteoporose.

Kaká por sua vez não está conseguindo jogar nem mesmo contra as equipes pequenas da Espanha. Xerez, Tenerife, Zaragoza. Nada. Kaká é um fiasco na Espanha. Isso ficou evidente ontem, quando o seu time foi eliminado da Liga dos Campeões pelo Lyon. Ele não é o mesmo nem nas atitudes. Ontem teve uma reação acintosamente hostil ao ser substituído. Falta de humildade, interrogação. Estrelismo, interrogação. E os princípios cristãos, interrogação. Vai sabá, como diria o meu tio Jorge.

E não é de hoje que ele não consegue desempenhar um bom futebol. Kaká vem repetindo a história do seu amigo Ronaldinho. Desde que ganhou o título de melhor jogador do mundo (mais por marketing do que qualquer coisa) Kaká não consegue emplacar uma sequência positiva de atuações. E na seleção brasileira não é diferente. Já faz tempo que Kaká não joga bem no time do Dunga. Só está sendo convocado pelo seu histórico de bom moço. E pelo tal comprometimento exigido dos jogadores pelo técnico.

Feliz mesmo só o casal Hernandes com o chequinho que Kaká manda mensalmente. É mole?

12 Comentários

Arquivado em Ronaldinho, Seleção

Ronaldo, reserva do Grafite

Um balde de água fria para quem defende a convocação dos Ronaldos para a Copa do Mundo. Rede Globo, Galvão Bueno. Todos vão ter que engolir Dunga.

No último amistoso antes da Copa do Mundo, Dunga ignorou o clamor da imprensa global e chamou Grafite e Carlos Eduardo para a seleção brasileira. Grafite e Carlos Eduardo. Parem as máquinas, exclamação. O primeiro para substituir Luis Fabiano, cortado por lesão. Já o segundo só Dunga pode explicar a convocação. Ninguém foi cortado. O técnico simplesmente resolveu chamar um jogador extra de última hora. Não me causará espanto se Carlos Eduardo for vendido pelo Hoffenhein da Alemanha nos próximos meses. Ser técnico da seleção é realmente um grande negócio.

Ao chamar Grafite, uma espécie de Robert com sorte, e Carlos Eduardo, que não sei nem quem é, o técnico Dunga já deu o recado: Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho vão ter que assistir a Copa do Mundo de casa.  Como diria meu amigo Gilberto de Atibaia, que em breve lançará seu mais novo livro sobre a guerra civil da Espanha, para meio entendedor boa palavra basta.

Não tem Galvão Bueno que mude a opinião do treinador. Ou será que Dunga age a mando de Ricardo Teixeira, interrogação.

Mas pior do que ficar de fora da Copa do Mundo é ser preterido na convocação para a entrada do Grafite. Meu Deus, exclamação. Se eu fosse Ronaldo cortaria os pulsos.

8 Comentários

Arquivado em Ronaldinho, Ronaldo, Seleção

Conta a do português também

Um dos princípios deste blog é desmistificar as mentiras que são contadas por grandes jornais e emissoras de televisão, veículos que, como todos sabem, são pautados por todos os tipos de interesse.

E uma dessas grandes mentiras que volta e meia são contadas na imprensa é a suposta boa fase de Ronaldinho Gaúcho. De fato, possivelmente instigada por patrocinadores do atleta, a mídia esportiva em geral está fazendo um grande lobby para para que Dunga convoque Ronaldinho Gaúcho. O difícil é editar jogadas para a divulgação, tamanha a mediocridade do futebol que vem sendo jogado por ele.

A última vez que conseguiram arranjar algo para vender aos torcedores brasileiros foi há mais de 1 mês no jogo do Milan contra o Siena, uma espécie de Resende/RJ. Inspirado e aproveitando-se da insignificância do adversário, Ronaldinho Gaúcho marcou 3 gols. Foi o bastante para a mídia, liderada pela Rede Globo, difundir uma suposta excelente fase do jogador.

A imprensa só não contava que Ronaldinho não faria nada nos jogos seguintes, conforme denunciado aqui no blog semanalmente. Assim, os planos, naquele momento, foram atrapalhados pela verdade. Desde então ninguém mais falou em Ronaldinho (salvo uma matéria destacando a balada do jogador antes da derrota no derby italiano).

Sexta, porém, a imprensa conseguiu arrumar mais um pouco de material – fraquinho, fraquinho – para fazer uma nova investida na missão que virou a convocação de Ronaldinho Gaúcho.

Globoesporte.com

Ronaldinho arrebenta, Pato retorna com gol, e Milan vence no Italiano

Lancenet

Ronaldinho Gaúcho resolve para o Milan

O Globo

Ronaldinho brilha em vitória do Milan

A leitura dos títulos induz o leitor mais desatento a pensar que Ronaldinho realmente arrebentou. Faz imaginar que ele teria feito 3 gols, driblado, chapelado, e o time se tornado campeão. A imprensa, enfim, está tentando vender uma atuação épica do jogador, algo que infelizmente muitas pessoas vão comprar.

Sucede que a verdade é que o jogador não fez nada disso. Pura propaganda enganosa. O show divulgado pela imprensa na realidade não passou de 2 assistências e uma cobrança de falta tosca que acabou resultando em gol, após um bate rebate. Ah, e foi contra o todo poderoso Udinese, 15º colocado no campeonato italiano, uma espécie de Atlético Paranaense.

A imprensa europeia, por exemplo, preferiu atribuir a vitória ao atacante Huntelaar, que marcou 2 gols. Nada mais transparente, imparcial e justo. Marca, AS (“gracias a una actuación de Huntelaar”)e La Gazzetta dello Sport deram destaque à atuação do holandês. Os jornalistas brasileiros devem ter visto outro jogo.

Se liga rapaz e siga o meu exemplo. Eu não acredito no Papai Noel, história do panetone do Arruda, contratações do Belluzzo e na tal boa fase do Ronaldinho.

6 Comentários

Arquivado em Polêmicas, Ronaldinho, Seleção

Peroba neles

Nesta semana os (quase ex-) jogadores Ronaldo e Roberto Carlos manifestaram na imprensa o interesse em participar da Copa do Mundo pela seleção brasileira.

Ronaldo

Deixem o Dunga tranquilo. Na hora certa, se tudo der certo, eu estarei na Copa. Qualquer pressão é ruim, tira o foco. Se eu não estiver lá na Copa é porque eu não mereci. E vou torcer muito pelo Brasil.”

Roberto Carlos

Se chegar em maio e o Dunga pensar: ‘Vamos botar mais experiência na Seleção’, vamos lá. Perdi duas Copas do Mundo, mas ganhei outros títulos. Perdi só 16 de 147 jogos. Minha história está lá. Voltar seria muito bonito.”

É incrível a petulência de ambos os jogadores, sobretudo do lateral Roberto Carlos. Depois de tudo o que fizeram (ou não fizeram, dependendo do ponto de vista) na última Copa do Mundo, depois da total falta de comprometimento demonstrada, enfim, depois do vexame pelo qual passou a seleção brasileira por culpa deles (e de alguns outros tantos, inclusive de jogadores que devem atuar na África do Sul), somos obrigados a nos deparar com tamanha ousadia. Ou será falta de vergonha na cara, interrogação. Como diz Osmar Lins, peroba neles, exclamação.

Mas não é só por conta do futebol apresentado na última Copa do Mundo que Ronaldo e Roberto Carlos não devem ser convocados. Futebol é momento e a verdade é que os jogadores não apresentam condições de participar de uma competição de tão alto nível.

Ronaldo até tem condições técnicas, principalmente se for comparado com alguns nomes que estão próximos da Copa do Mundo. Nilmar é um exemplo. É até um bom jogador, porém não impõe respeito nos adversários. Não tem nome. É jogador do inexpressivo Villarreal. Na minha opinião não é jogador de seleção. Só está lá em razão da escassez de bons valores. Contudo, Nilmar tem um diferencial em relação a Ronaldo. Tem condições físicas de atuar, algo muito importante numa competição como a Copa do Mundo. Ronaldo, roliço do jeito que está, não passa confiança para a comissão técnica.

Já Roberto Carlos é o contrário: até tem condições físicas para jogar, porém no aspecto técnico fica devendo. E muito. Ora, convenhamos que Roberto Carlos não apresenta com regularidade um bom futebol desde que foi eleito, com todos os méritos, um dos melhores jogadores do mundo. Desde então vem jogando apenas com o nome, graças a mediocridade alheia. E na seleção, naquilo que interessa, foi só decepção. Apesar de se gabar de ter perdido apenas 16 dos 147 jogos em que atuou pela seleção, as Copas de 1998 (a da famosa furada de bicicleta) e 2006 (a do meião) não saem da memória dos brasileiros que têm um mínimo de rancor.

Roberto Carlos ainda tem outro agravante. Sem humildade para reconhecer que sua atuação na Copa de 2006 foi pífia, devido as críticas que recebeu (me ajuda aí Galvão) o jogador afirmou que nunca mais jogaria pela seleção brasileira. E de fato nunca mais foi convocado. Não só porque não queria mais vestir a amarelinha (como se dependesse apenas dele jogar ou não). Não foi mais chamado porque não dava mais para enganar apenas com o nome. Roberto Carlos deveria falar menos e  jogar mais. Já está no Corinthians há 2 meses e até agora não justificou o salário milionário que recebe. A condição de titular não é nenhum mérito, pois até Armero seria o preferido com Escudero no banco. Seu lance mais marcante foi a expulsão em menos de 10 minutos no clássico contra o Palmeiras. E ainda diz que pode ajudar na seleção pela sua experiência.

E mais. Apesar do forte apelo da ala alvinegra da imprensa,  não acredito que Dunga irá convocá-los. Salvo algumas exceções, sendo a última delas a convocação do medíocre Gilberto, o técnico vem demonstrando ao menos uma certa coerência. Convocar Ronaldo e Roberto Carlos de última hora culminará na quebra da confiança existente entre o técnico e os demais jogadores que sempre estiveram ao seu lado. Eu já não acredito no atual grupo. Se chamar os dois encostos é fracasso na certa.

4 Comentários

Arquivado em Polêmicas, Ronaldo, Seleção

A seleção de Dunga

Dunga convocou hoje os jogadores que representarão a seleção brasileira no último amistoso antes da Copa do Mundo, contra a Irlanda, no dia 2 de março. Com exceção de alguns nomes, e sem adentrar no mérito da convocação de alguns jogadores, Dunga mostra ao menos que tem uma certa coerência. Chamou basicamente os mesmos jogadores que haviam sido convocados para os últimos jogos.

Dunga não se deixou levar, por exemplo, pelo apelo que a imprensa global fez nas últimas semanas em torno da convocação de Ronaldinho Gaúcho e, mais recentemente, do menino Neymar. Com total razão.

O primeiro, ao contrário do que alguns especialistas da mídia esportiva vendem por aí, continua em péssima fase. E não é de agora. Já se vão uns 4 anos que Ronaldinho não consegue emplacar uma sequência razoável de bons jogos. O jogo contra o inexpressivo Siena, quando Ronaldinho marcou 3 gols, foi a exceção da exceção. Cansamos de falar isso aqui. E tanto é verdade que desde então a imprensa não conseguiu editar uma jogada sequer para vender ao público. Nem contra o medíocre Bologna no último domingo. Ora, se o rapaz não consegue aparecer contra o Bologna vai aparecer contra quem, interrogação. A cada dia acredito mais na tese do Jota Barros, aquela de que o futuro do Ronaldinho é fazer embaixadinha no Viaduto do Chá, ou quem sabe no se vira nos 30 do meu amigo Fausto Silva.

Já no caso de Neymar é muito cedo para se falar em seleção. Não podemos nos iludir com um gol bonito contra o Santo André e uma paradinha contra Rogério Ceni. Se for assim porque não pensar na convocação do Carlinhos Bala, que vira e mexe faz um lance de gênio? Ou até mesmo do Val Baiano? E paradinha por paradinha sou mais a do Alan Bahia do Atlético Paranaense. Enfim, é muito pouco para pensar na convocação de Neymar. O jogador precisa mostrar uma certa regularidade – algo que não teve no ano passado, quando simplesmente sumiu – e enfrentar verdadeiros desafios – a meu ver gol contra o Santo André não conta.

Agora, se for para fazer uma comparação técnica entre Neymar e alguns dos jogadores que costumam ser convocados por Dunga – tais como Julio Baptista, Josué, Kleberson, Ramires, Elano etc. – não tenho como negar que o menino mereceria uma chance na seleção. Assim como o Carlinhos Bala, o Alan Bahia e o Val Baiano. Mas aí já é outra conversa.

Jogadores convocados para o último amistoso antes da Copa do Mundo

Goleiros

Júlio César (Internazionale); Doni (Roma)

Laterais

Maicon (Internazionale); Daniel Alves (Barcelona); Michel Bastos (Lyon); Gilberto (Cruzeiro)

Zagueiros

Lúcio (Internazionale); Juan (Roma); Thiago Silva (Milan); Luizão (Benfica)

Meias

Ramires (Benfica); Gilberto Silva (Panatinaikos); Felipe Melo (Juventus); Elano (Galatasaray); Kaká (Real Madrid); Júlio Baptista (Roma); Josué (Wolfsburg); Kleberson (Flamengo)

Atacantes

Luis Fabiano (Sevilla); Nilmar (Villarreal); Adriano (Flamengo); Robinho (Santos)

9 Comentários

Arquivado em Ronaldinho, Seleção