Arquivo da tag: São Paulo

APOSENTADORIA! Nós avisamos

É por essas e outras que acho melhor Rogério Ceni se aposentar logo. Ele e São Marcos.

Faz papel ridículo e vira piada.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Aposentadoria, interrogação

São Marcos. Rogério Ceni. Dois grandes goleiros. Um mais debaixo das traves. O outro muito mais com os pés.  Mas  inegavelmente são grandes goleiros. Talvez os maiores da história de Palmeiras e São Paulo. Só que já estão velhos. Beirando os 40. E a idade pesa, sobretudo para a posição que atuam. Os últimos meses revelam esse peso. Ambos começam a se destacar mais pelas falhas do que pelos milagres de outrora.

Será que já não é o momento de aposentar, sair por cima e dar oportunidade para os mais jovens, interrogação. Será que falta o famoso simancol, interrogação.

12 Comentários

Arquivado em Palmeiras, São Paulo, Sem categoria

Rodada de definições no paulixta

A rodada deste final de semana será de afirmação e definição no campeonato paulista.

O jogo mais importante, sem dúvida nenhuma, é Palmeiras x Ponte Preta. Uma derrota praticamente elimina as chances de classificação do Palestra, confirmando o desastre do planejamento da diretoria comandada pelo Professor Belluzzo. Lembrando que tropeço do Palmeiras no Palestra Itália é algo absolutamente comum. Por outro lado, se o time vencer manterá viva a esperança de classificação, sobretudo porque os próximos jogos no campeonato teoricamente são fáceis: Rio Branco, Mirassol, Oeste e Paulista. Teoricamente, exclamação.

O segundo jogo na escala de importância é Corinthians x Grêmio Prudente (único time na história do futebol mundial que começou um torneio com um nome e terminou com outro; nem na várzea carioca acontece isso). O jogo é importante porque se o Corinthians não vencer a 4ª vaga ficará totalmente em aberto. Nesse caso o Botafogo pode ultrapassar o Corinthians. E Palmeiras, Portuguesa e o próprio Grêmio Prudente podem encostar. Ronaldo não joga. Será poupado. O jogador de fato não tem a mínima condição física de atuar.

A derrota do Corinthians coloca fogo no campeonato e, mais importante, esquenta o clássico do próximo domingo contra o São Paulo no Pacaembu.

São Paulo que joga amanhã contra o Mogi Mirim. Por mais que o time não venha jogando bem, não acredito em um tropeço do time de Ricardo Gomes.  O time historicamente não costuma se complicar em jogos como esse. Derrota em casa para times pequenos ou em má fase é especialidade do Palmeiras. Só o Flamengo o Palmeiras salvou do rebaixamento nos últimos anos umas 3 ou 4 vezes em jogos em casa.

E, finalmente, teremos Santos x Ituano. A vitória santista praticamente sacramenta a classificação.

Ah, poderia também dizer que a rodada é importante para a Portuguesa. Acontece que da lusinha não se pode esperar muito. Para quem imaginava que a Portuguesa lutaria pelo rebaixamente, o time até que vem fazendo uma campanha espetacular. O não rebaixamento este ano está de bom tamanho e deve ser comemorado como um título no Canindé.

Sou Jornalismo Futebol Clube. Sou Taddei e mais 10.

3 Comentários

Arquivado em Corinthians, Palmeiras, Santos, São Paulo

Noite perfeita

A noite de ontem foi perfeita para Santos, 4 x 0 contra o Remo, e São Paulo, 3 x 0 contra o Nacional/PAR. Perfeita para a edição de lances de jogadores que sobrevivem às custas de malabarismos circenses desprovidos de objetividade e funcionalidade. Perfeita para dar fôlego a jogadores e técnico que vêm sendo bastante questionados nas últimas semanas. Perfeita para a promoção do time e a valorização do espaço em branco na camisa. Enfim, perfeita para irradiar a mentira que é o futebol brasileiro de hoje.

Apesar da derrota para o Palmeiras, no Santos nada mudou. Neymar e os meninos da Vila seguem dando espetáculo contra times débeis. Só ontem o jogador fez 2 gols e 2 assistências. E dançou, querendo passar a imagem de que não se abateu com o tombo sofrido no último domingo. Dizer o que sobre isso. Que Neymar está errado? Lógico que não. Realmente tem que aproveitar esse momento. É para isso que servem as fases iniciais de torneios regionais, Copa do Brasil e até mesmo da Taça Libertadores.

Jogadores como Neymar, de habilidade inquestionável mas de carreira não muito promissora (na Europa), devem mesmo abusar da mediocridade alheia para vender a imagem de craque e, assim, arrumar um bom contrato no exterior. Azar daquele que é poupado desse tipo de jogo.

Denílson e o próprio Robinho são os melhores exemplos dos últimos anos. No Brasil, eram tidos como craques (Robinho ainda é). Se aproveitaram justamente de jogos como os de ontem para reforçar a fama de jogadores fora de série. Em comum as famigeradas pedaladas. Por isso foram vendidos para a Europa por cifras milionárias. No exterior, porém, não vingaram. Lógico. Lá não jogam Remo, Mogi Mirim, Chapecoense, muito embora alguns times da primeira divisão das ligas européias não fiquem muito longe.

Neymar segue o mesmo caminho. Já deve ter recebido os conselhos de seu companheiro Robinho. Provavelmente vai ser vendido ainda este ano para algum time europeu, até porque o Santos está quebrado e precisa fazer caixa, vai esquentar o banco ou no máximo jogar algumas partidas contra times pequenos, e num futuro não muito longe retornar ao Brasil por empréstimo com a desculpa de que não se adaptou ao estilo europeu, o que o técnico não gosta de brasileiro, ou que quer ficar mais perto da seleção, desculpas típicas de jogadores brasileiros que fracassam lá fora.

1 comentário

Arquivado em Sem categoria

A rodada, no pique

O Clássico:

Começam a aparecer de verdade os craques corinthianos, interrogação.

Neste temporada, após 2 anos e 2 meses jogando contra times da 2ª divisão, o Corinthians apresentará de fato e de verdade à sua torcida seus talentos, todos pinçados e trazidos, um a um, ao Parque São Jorge  pelo “genial” Mano Menezes.

Ao final de Junho (quiçá em Maio), com tudo terminado, Felipe, Alessandro, Chicão, RC, Jucilei, Tcheco, Ralf, Danilo, Souza e Iarley deverão pedir “asilo esportivo” em outro estado ou país, vítimas das ameaças da torcida. Lembrem-se do que foi o Carnaval, que não vale nada.

Neste domingo, o Santos de fato sobrou.

Mas no parecer de Mano nada mudou, mais uma vez o Timão perdeu somente e tão somente por culpa da arbitragem.

Palmeiras:

Tutto torna alla normalità, como diria meu avô Gilim. Derrota para o glorioso Rio Claro.

A desculpa foi a chuva. Difícil é acreditar que o campo estava molhado apenas para o Palmeiras.

SPFC:

Quem é você Monte Azul, interrogação.

O jogo não serviu de referência para analisar o futebol pelo time, dada a fragilidade do adversário.

Mas serviu de excelente referência para atestar a grosseria de Dagoberto e Washington, depois do que fez o novato Fernandinho. Que por sinal, não fez nada demais.

Diiiiiizem que nos corredores do Morumbi conselheiros de oposição usam o caneleiro Washington para trepudiar sobre JJ.

Por Jota Barros, que não aguenta mais a humildade de Mano Menezes

21 Comentários

Arquivado em Corinthians, Palmeiras, Paulista, Santos, São Paulo

RC 0

Além da ressurreição de Marquinhos, a quem me recuso de chamar de jogador de futebol, outro momento lamentável do clássico do último domingo foi a reclamação de Rogério Ceni no primeiro gol de Robert. Escandalosamente o goleiro se queixou que o atacante do Palmeiras fez o gol com a mão. A reclamação foi tão intensa que parecia realmente que Rogério Ceni havia visto algo que ninguém viu. Entretanto, a farsa do goleiro foi desmascarada pelas câmeras de televisão, que mostraram que não houve nenhuma irregularidade no gol.

A verdade é que Rogério Ceni lamentavelmente agiu de má-fé. Sua atitude foi desonesta. Absoluta falta de fair play. Claramente tentou induzir o árbitro a erro e, de quebra, colocou os jogadores e torcedores são-paulinos contra o homem de preto naquele instante. Logo Rogério Ceni, que se sente acima do bem e do mal. Jogador que a  mídia vende como uma pessoa diferenciada.

Um dos jogadores que caiu na armadilha do goleiro foi Marcelinho: “O primeiro gol foi com a mão. O árbitro não viu, mas depois vamos ver na televisão. O Rogério falou que o Robert acabou tocando com a mão“. Confiou no capitão e acabou pagando com a língua. Quero ver se Marcelinho terá dignidade de vir a público e reconhecer o equívoco de suas palavras.

Mas a mim Rogério Ceni não engana. Em todo gol que o São Paulo leva ele  levanta uma das mãos como se tivesse ocorrido alguma irregularidade. O que parece é que Rogério Ceni não admite a hipótese de levar um gol por falha própria ou por mérito do atacante.

Esperei para publicar este post só agora para ver se alguém da imprensa comentaria sobre o lance. Mas como imaginava ninguém da mídia falou nada. Normal. Falar mal de Rogério Ceni é algo mais grave do que violar qualquer um dos 10 mandamentos. A última que cogitou falar alguma coisa contra Rogério Ceni, a jornalista Milly Lacombe, simplesmente sumiu do mapa. E o pior é que diiiiiizem que o que ela havia falado era a mais pura verdade.

Mas aqui não tem isso de proteger jogador. Aqui é Jornalismo Futebol Clube.

155 Comentários

Arquivado em São Paulo

Show de horrores em Parque Antarctica

Mantendo à risca sua recente sina de reabilitar jogadores ou times, o SPFC perdeu para o Palmeiras, do glorioso centroavante Robert.

Nada de aproveitável no plano de jogo de Ricardo Gomes: time lento, pesado a absolutamente sem criatividade.

Quem assite ao SPFC tem a certeza de que o time jamais jogou junto antes. As substituições são a la Muricy: saiu um centroavante entra outro, um zagueiro entra outro e sai um volante entra outro.

Com a bola, o time abdica do ataque e padece da falta de criatividade. Hernanes apagadíssimo. Sem a bola, sofre na marcação, embora com um exército de volantes. Preocupante.

Gomes é o homem certo para quem quer uma Libertadores, interrogação.

Para finalizar, Robert, que pelo bom senso não seria titular nem do Flamengo de Guarulhos, superou por duas vezes Renato Silva. Renato Silva. Meu Deus, exclamação.

Proponho uma negociação com o Fluminense. O SPFC cede Renato Silva, Adrian Gonzales, Washington e Jean e não vem ninguém. Fica a dúvida se o Fluminense aceitaria.

Destaque para um duelo inusitado no segundo tempo de hoje: Marquinhos e Jean. Meu Deus. Coitada da bola.

Por Jota Barros, show de horrores em Parque Antarctica

20 Comentários

Arquivado em Palmeiras, Paulista, São Paulo