Arquivo da tag: Iarley

Corinthians e Santos, Santos e Corinthians

O Corinthians segue fazendo o feijão com arroz no campeonato paulista. Ganhou do São Caetano na Arena Barueri, suntuoso estádio – para os padrões brasileiros e, principalmente, para uma cidade que sequer tem um time que a represente – que em breve não terá nenhuma utilidade. Parabéns a Prefeitura de Barueri. Dinheiro muito bem gasto. E olha que é só um aperitivo. Olimpíadas e Copa do Mundo estão aí. Outros elefantes brancos virão por todo o Brasil. E o povo segue sem lugar para morar.

O jogo foi sonolento. Sem nada para destacar de positivo. Quem preferiu fazer outra coisa no mesmo horário e não assistiu não perdeu nada. Eu, por exemplo, vira e mexe dava uma sapiada na piscina maluca do Domingo Legal para ver se o sono passava.

Para justificar o futebol ruim, disseram que o Corinthians jogou com o time reserva. Difícil é distinguir os times reserva e titular do Corinthians. A cada jogo uma escalação diferente. O bom disso, principalmente para o técnico, é que sempre haverá a desculpa de não estar jogando com o time completo.

A partida ao menos serviu para constatar definitivamente que Iarley não é nem 10% daquilo que venderam na mídia quando ele foi contratado pelo come letras Andrés Sanchez. Chegou no Corinthians como uma grande reforço. O Mister Libertadores. Galáctico. A mim ele nunca enganou. Iarley é um Basílio – aquele que jogou no Palmeiras e no Santos – de grife. Só se destacou em times medianos. Teve uma boa passagem pelo Internacional e mais nada. Mas no sul até o Souzinha é craque.

Já o time que dizem ter o futebol mais vistoso do País não passou de um empate com a Portuguesa. Parem as máquinas, exclamação. Ora, sinceramente não entendi. Qualquer time grande que jogue o mínimo de futebol tem obrigação de vencer a Lusinha, com todo respeito ao pessoal do Canindé.

O que aconteceu com Neymar e Robinho, interrogação. Medo de ter a carreira encerrada em algum lance com o zagueiro Domingos, interrogação. Se for isso até entendo. Ou será que os jogadores, especialmente Neymar, sofrem de algum transtorno bipolar que os levam a jogar apenas de vez em quando, interrogação. O ano passado foi igualzinho. Neymar arrebentou no começo, sumiu no final. É verdade que o (ex)trategista Vanderlei Luxemburgo teve grande parcela de culpa no sumiço do jogador no ano passado.

7 Comentários

Arquivado em Corinthians, Paulista, Portuguesa, Santos