Arquivo da tag: Flamengo

O bêbado e o sóbrio

Bem que dizem que Deus protege os bêbados e as criancinhas.

No retorno depois da confusão com sua noiva e do retiro espiritual (não é “Espírito de Minas”) em Búzios, o Imperador Adriano marcou o gol da vitória no clássico contra o Vasco e embebedou a torcida rubro-negra de alegria. É verdade que o juiz ajudou ao marcar o pênalti que originou o gol. E que ajuda, exclamação. Um pênalti no melhor estilo Carlos Eugênio Simon. E só para variar a favor do Flamengo. Na comemoração pediu o perdão de Deus pelas bobagens feitas nos últimos dias.

Já o Vasco parece não ter aprendido a lição da segunda divisão. O time é ruim. Talvez do mesmo nível daquele que caiu para a série B em 2008.

O atacante do time é Dodô. Aquele mesmo. Atacante de futebol sóbrio que costuma fazer 5 gols numa partida e ficar 10 jogos sem marcar. O artilheiro dos gols bonitos. É verdade. Às vezes faz gols incríveis. Mas a marca de Dodô é de não ganhar títulos pelos times que joga. Diria que Dodô é o artilheiro dos gols inúteis. Dicifilmente deixou títulos pelos times em que atuou. E olha que sempre jogou em clubes grandes. No São Paulo, time que tem um bom retrospecto de títulos, Dodô conseguiu apenas um título paulista.

Enfim, Dodô é só um dos indicativos de que o Vasco não vai para a frente neste ano. E o melhor exemplo foi o jogo de domingo. Dodô conseguiu perder 2 pênaltis. E levou o Vasco para o buraco.

12 Comentários

Arquivado em Carioca, Flamengo, Vasco

Quanta mediocridade para um dia só

Nenhuma surpresa na quarta-feira.

O Fluminense ganhou do Confiança.

O Coritiba do Luverdense.

O Náutico do Ivinhema.

E o Flamengo ganhou do Caracas. Tudo bem que nada muda na rotina da população venezuelana. Futebol lá é o 7º esporte mais praticado. É como se fosse o rugby aqui no Brasil. Flamengo? Vagner Love? Prazer. Lá ninguém nunca tinha ouvido falar antes.

Na Vila Belmiro o Santos massacrou o Naviraiense. 10 x 0. Mas também, sem querer desmerecer a vitória santista, que time era aquele, interrogação. Meu Deus, exclamação. Quanta mediocridade. O Naviraiense perde de 10 até para o Flor de Maio Atlético Clube, atual campeão da Copa Brahma de Futebol Veterano. O André fez 3, interrogação. O Robert do Palmeiras faria no mínimo 2.

A gazetaesportiva.net destacou que “em uma noite inspirada, o Santos reviveu os tempos do Rei Pelé.” Nesse ponto vou concordar. A recordação do futebol jogado naquele tempo foi inevitável. Pelé era um craque no meio de um bando de sem noção. Foi o que aconteceu ontem com Neymar e Robinho na Vila Belmiro. Mas apesar do vexame temos que dar um desconto para os jogadores do Naviraiense. Convenhamos que deve ser duro jogar de noite e na manhã seguinte trabalhar na estiva do porto. Não há corpo que aguente.

E o Corinthians? Meu Deus! Que jogo. Empate suado. E comemorado, como se fosse um título. Rojões pela cidade. O Corinthians está se humilhando cada vez mais por essa obsessão de vencer a Libertadores. O retrato do Corinthians na partida pode ser resumido pela recusa dos jogadores na cobrança do escanteio no final do jogo. Ao invés cruzar na área para tentar o gol da vitória, o Corinthians preferiu fazer cera, agindo como um time pequeno e amedrontado. Que vergonha para um clubeque ostenta o título de melhor elenco do Brasil.

Mas vergonhosa mesmo é a situação do Ronaldo. Andou em campo. Não pegou na bola. Sinal de alerta no Parque São Jorge. A imprensa demorou mas já começa a questionar a fase do jogador. Daqui a pouco vai ser a torcida.  Chutes no carro. Ameaças por telefone. Já vi esse filme. O Ronaldo está tão sem moral que na opinião do Casagrande ele deveria sair para a entrada do Souza. Meu Deus, exclamação. Parem as máquinas. Preferir o Souza é o fim da picada. É mole?

12 Comentários

Arquivado em Copa do Brasil, Corinthians, Flamengo, Ronaldo, Santos

Que quarta-feira é essa

Hoje tem Corinthians na Copa Libertadores. Primeiro jogo fora de casa. Logo na altitude de Bogotá. Dificuldade, interrogação. Não sei não. Talvez seja melhor para o Corinthians. Dizem os especialistas que a pressão atmosférica na altitude é menor, e que por isso a bola enfrenta menos resistência e preserva sua velocidade por mais tempo. Ou seja, o Ronaldo parece que não vai enfrentar problemas com o seu péssimo estado físico. Vai voar em campo.

O lateral Roberto Carlos declarou na imprensa que “faremos alguns gols no Independiente”. O jogador definitivamente precisa ter um mínimo de humildade, algo jamais visto ao longo de sua carreira. Está há 3 meses no Corinthians e até agora a única coisa que fez foi tomar cartão vermelho. Mesmo assim tem o desplante de prometer gols para a torcida. É mole, interrogação.

Hoje também tem Flamengo na Taça Libertadores. E também é o primeiro jogo fora dos seus domínios. Contra o glorioso Caracas da Venezuela. Lembrando que o futebol na terra de Hugo Chávez é o 7º esporte, atrás do beisebol, vôlei, basquete, tranca e por aí vai. A vitória é obrigação. Adriano não joga. Está contundido. Ressaca braba. A única dúvida na partida é se vai haver luz na Venezuela. Ah, o velho Petkovic pode voltar ao time. O geriatra do Flamengo o liberou do repouso. Depende apenas do técnico Andrade.

O dia também é de Copa do Brasil. O jogo da televisão em São Paulo será Santos contra Naviraiense. Partida perfeita para edição de jogadas da dupla Neymar e Robinho. Dizem que alguns jogadores do time do Naviraiense aproveitaram a viagem para Santos e já conseguiram novos empregos. No porto. De estivadores.

A quarta-feira também é de especulações. O Palmeiras pode fechar a qualquer momento a contratação do lateral-direito Vitor do Goiás. Dizem que é um fenômeno e que todos os times já tentaram sua contratação mas não conseguiram. Escutei a mesma coisa quando o Palmeiras contratou o Marquinhos. Deu no que deu. Para finalizar a contratação o Palmeiras precisa ceder alguns jogadores. Coitado do Goiás. Estão falando em 3. Wendel, Deyvid Sacconi e Daniel Lovinho. Acho que o Palmeiras sai perdendo na negociação. Acordo bom mesmo seria a vinda do Vitor e a ida dos 3 jogadores citados, além do Marquinhos, Edinho, Armero, Robert, Cipullo, Belluzzo, contrato da Arena Palestra Itália etc.

15 Comentários

Arquivado em Copa do Brasil, Corinthians, Flamengo, Libertadores, Palmeiras, Ronaldo, Santos

Crise no império do amor

O império do amor começa a ruir bem antes do esperado. Não que isso não fosse esperado. Era uma questão de tempo. Mas ninguém apostava que já seria agora, antes do Flamengo perder a Copa Libertadores da América.

Primeiro foi a briga entre o ancião Petkovic e o porta voz para quaisquer assuntos do Flamengo, o ilustríssimo Marcos Braz, o mesmo que um dia disse a célebre frase “a gente se planeja para usar o dinheiro da renda para quitar dívidas, mas as penhoras nos atrapalham a resolver diversas questões financeiras”, como se as penhoras não fossem resultado de outras dívidas do Flamengo. Algo já cheirava ruim ali.

Depois foi a derrota para o Botafogo nas semifinais da Taça Guanabara. Logo o Botafogo, o time mais desacreditado de todos, motivo de piada em qualquer botequim do Rio de Janeiro. Efeitos da ressaca do carnaval.  E da total falta de humildade. Enquanto o império do amor curtia o carnaval madrugada dentro, os botafoguenses se concentravam para a partida.

Agora veio a gota d’água. Adriano começa novamente a sofrer seus problemas mentais. Mais uma crise por conta de brigas com sua namorada. Outros já levantam a possibilidade de Adriano ter sofrido recaída com bebida e drogas. Não se sabe direito o que passa pela cabeça do jogador. O que se sabe é que Adriano sempre será essa bomba-relógio.

Caprichos com brigas conjugais. Falta constante nos treinos para resolver problemas particulares, problema este mais conhecido popularmente como indisposição pós balada. Desfalque em jogo decisivo por conta de pisadas em lâmpadas de jardins. Rescisão contratual. Esses são os ônus de ter Adriano no elenco e deixar o jogador fazer tudo o que quer, como se ele fosse mais importante do que o próprio clube. O Flamengo tem uma história grande demais para se apequenar tanto por causa de um bom jogador, mas que não serve para limpar a chuteira de outros ídolos do clube como Zico e Romário.

E não precisa ser Robério de Ogum para prever que o império do amor vai ruir de vez quando Vagner Love entrar na sua fase normal, aquela do ano passado quando ele atuava pelo Palmeiras. Aí o Flamengo volta a ser o time que todos nós conhecemos.

6 Comentários

Arquivado em Flamengo

Palestra goleia Flamengo

O que dizer de um time que, sem nenhuma expulsão, volta para o segundo time com um a menos? Esse é o Flamengo do Piauí, Estado que não tem, e creio jamais terá, tradição no futebol. Logo, a goleada de 4×0 não passou de um resultado normal. Empolgação apenas para Antonio Carlos, que segue invicto.

Destaque mesmo para a atuação de Marquinhos. Foi, sem dúvida, a melhor partida do atleta com a camisa do Palestra. Nota 2,75. Embora ainda não consiga dominar uma bola, chegou a acertar alguns passes, o que mostra um brutal upgrade na carreira dele. Com a atuação de ontem, a Traffic já poderá vendê-lo para algum time de Myanmar ou da Botswana.

A nota triste é sobre Jardel. Ídolo no Grêmio, Porto, Galatasaray e Sporting. 2 vezes chuteira de ouro, fez sucesso na Europa, ao contrário, por exemplo, de Robinho, que fracassou. Mas se envolveu com drogas e acabou com sua carreira. Hoje, aos 37 anos, parece ter 50. Esforçou-se muito para jogar ontem, mas não conseguiu. Uma pena.

Nota mais triste ainda para a equipe da Sportv, comandada pelo corintiano Milton Leite, que fez brincadeiras sem a menor graça com a situação de Jardel.

Por Primo Argentino, de volta

24 Comentários

Arquivado em Copa do Brasil, Flamengo, Palmeiras

Crise no Flamengo?

Ontem estava conversando com o porteiro do meu prédio, um pernambucano simpático, fanático por futebol. Sabe tudo de todos os times, assim como sabe de tudo e de todos do condomínio. Flamenguista, comentou comigo que está bastante ressabiado com o futuro do time, mesmo tendo no ataque o Império do Amor, Adriano e Love.

Primeiro com a questão da união entre jogadores, técnico e dirigentes. Acha que a ida de Vagner Love já começou a despertar inveja. Salário alto, regalias, holofotes etc. Ele acredita que o primeiro a demonstrar esse sentimento foi Petkovic. Por isso acha que a qualquer momento uma crise vai se instalar no Flamengo (não, meu porteiro não é o Robério de Ogum, muito menos parente dele).

E segundo com o setor defensivo do time. Já meio nervoso, disse para mim que “um clube grande como o Flamengo não pode levar 3 gols de um time que tem nome de fabricante de tijolo“, e completou dizendo que “com essa zaga e com o técnico que temos não vamos passar nem da primeira fase da libertadores“.

Como estava com pressa, finalizei a conversa e tentei consolá-lo. Disse para ele que poderia ser pior. Ele poderia torcer, por exemplo, para o Palmeiras.  Aí sim ele iria ver o que é sentir preocupação.

Já eu não tenho esse tipo de problema. Graças a Deus sou Jornalismo Futebol Clube.

OBS: o que está acontecendo com a grande torcida rubro-negra? 6.554 testemunhas no Maracanã? Cadê a maior do mundo? Depois não reclamem quando digo que a torcida do Atlético/MG é a mais fanática.

20 Comentários

Arquivado em Carioca, Flamengo

Acredite se quiser, o retorno

Nota do Blog, baseada em informações do Primo Argentino: o querido Marcos Braz deve ter se esquecido de dizer que o Flamengo tem um acordo com o jogador. Petkovic tem milhões de créditos contra o Flamengo, assim como dezenas, quiçá centenas, de outros jogadores. Dizem que para tentar quitar a dívida as partes fizeram o seguinte acordo: descontão, débito parcelado, e titularidade de Petkovic até os 45 anos (não está longe). Tirá-lo do time significaria quebra do contrato. O melhor mesmo era aceitá-lo de volta, pois do contrário a dívida só iria aumentar.

2 Comentários

Arquivado em Flamengo