Primeiro título à vista

Estive na passarela “Adoniran Barbosa” (aquele que ensinou o samba ao RJ) neste sábado.

Ingresso fácil, ironicamente o nome da empresa que comercializa as entradas “oficiais”, apenas nas mãos de cambistas. Utilizei do expediente. “Mas é quente meu amigo?”, “Sem dúvida, sou profissional há anos, tenho uma reputação a zelar.” Meu Deus, exclamação.

O show de fato é bonito: Aguia de Ouro, Tom Maior, Mocidade Alegre, X-9 Paulistana e….a famigerada Gaviões da Fiel.

Leigo, repito, leigo, prefiro opinar pela beleza estética da apresentação, pela congruência entre o tema e as alas/fantasias e pela originalidade e musicalidade do samba enredo.

A Aguia de Ouro homenageou a “grande” cidade de Itu; a Tom Maior, a capital federal (diga-se de passagem uma péssima escolha); a Mocidade Alegre, “o homem e sua própria imagem”; a X-9, a mistura Brasil-Portugal; e a Gaviões…o centenário do Corinthians.

Párem as máquinas, exclamação.

Incrível a criatividade e originalidade do tema.

Uma outra inovação também foram os atuais e ex-jogadores desfilando na escola. Acho que nem Joãosinho Trinta, em seus tempos áureos, jamais pensaria nisto.

Edu (aquele mesmo, do Arsenal), suava como nunca e se dedicava fisicamente de uma forma que não se via desde aquela final da Copa São Paulo contra o Vasco. Aliás sua última (e única) partida relevante com a camisa do Timão.

Os demais jogadores e Mano não eram diferentes.

Ronaldo também esteve. Em carro isolado dos demais. Pedido da Globo, interrogação. Parecia cansado. Não deve ter sido fácil subir no carro.

Sem dúvida foi a Gaviões a mais festejada. O sambódromo explodiu. Não para menos. Tinha mais Corinthianos do que no Pacaembu em dia de jogo.

Fixei os olhos no camarote dos jurados. Nítida imparcialidade. Foi o único momento em que se levantaram.

A apresentação? Absolutamente normal. Diria que empatada com a Tom Maior. A Mocidade Alegre foi vi-si-vel-men-te superior.

Mas não será surpresa: a Gaviões deve ter todas as notas 10 no originalíssimo samba-enredo.

E mais, sob a justificativa de ter “levantado o público”, o Corinthians (podemos dizer que é o clube, tamanho o envolvimento) deve faturar seu primeiro título da temporada.

Como sou Jornalismo Futebol (e Samba) Clube exclamação, esperarei para ver.

Por Jota Barros, direto do sambódromo paulistano

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em Sem categoria

6 Respostas para “Primeiro título à vista

  1. Zhu Sha Zang

    Todos sabemos, carnaval é tão ou mais vergonhoso que futebol…

    E viva a hipocrisia (alienação) nacional.

    att

  2. Correção !
    A Águia de Ouro homenageou Ribeirão Preto!
    Leitura e pesquisa é o mínimo.

    Império homenageou ITU!

  3. Zeca, o Passarinho Tricolor

    Eu dei em primeira mão, no post “Libertadores em sinal de alerta” que Jota Barros teria sido visto no sambódromo do Anhembi, e realmente foi confirmado por ele mesmo. Agora ele não diz com quem estava acompanhado…. Diiiiiiizem que a loira é destaque de uma famosa escola de samba de SP. Eu me reservo no direito de não revelar a fonte. Com a palavra Jota Barros, direto da redação.

  4. E ouvi dizer que Bolaldo o Fofomeno ainda teve que descer do carro no meio do desfile para fazer pipi…

    Se não pode segurar um xixizinho básico por 65 minutos tá feia a coisa mesmo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s