Versatilidade ou irracionalidade?

A insistência de determinados técnicos em alguns jogadores é irritante.

Insistir em craques, jogadores decisivos e agudos é mérito.

O grande problema é a insistência em jogadores de qualidade técnica ruim ou no mínimo discutível.

Vejamos o caso do São Paulo: na era Muricy, mais precisamente em 2008, a bola da vez era o glorioso Zé Luis. Ele mesmo, vindo do São Caetano. Zé Luis em 2008 jogou como lateral-direito, lateral-esquerdo, zagueiro-central, quarto-zagueiro e até como volante. Isso mesmo, até como volante. O curioso é que Zé Luis é volante de origem, porém me lembro de uma ou duas vezes apenas que jogou nesta posição, com a camisa 5, que desde os meus tempos de futebol de botão na casa de minha Tia Sonia, era de volante. Cheguei a dizer na época que o São Paulo era Zé Luis e mais dez. Entrevistas na TV, radio, jornais… onde se via São Paulo lá estava Zé Luis. Fui retalhado a época. Mas como diria minha sogra Dona Lucia, “o tempo é o senhor da razão”. Onde está agora o Zé Luis? Quando muito fica no banco. Meeeeu Deus!!!

Mais recentemente, Muricy Ramalho, que não se cansa de dizer que dá muito lucro aos clubes onde trabalha, insistiu no garoto sul-mato-grossense Jean.

Jean apareceu como volante, daqueles que correm muito e jogam pouco (ou quase nada). Teve a sorte de apontar no time na hora das vacas gordas, com o titulo de 2008 quase que garantido. Não demorou para todas as atenções se voltarem para Jean. Novamente TVs, rádios, jornais se esforçaram para divulgar Jean e seu futebol. A versatilidade – ou como prefiro insistência irracional – veio naturalmente. Lateral direito, esquerdo, volante, meia. Não me surpreenderia se visse um dia Jean de centro-avante. Parem as maquinas !!!

Quem é você Jean? A verdade é que Jean é fraco, para não dizer pusilânime.

Honestamente, acho um desrespeito com os chamados jogadores de origem. O sujeito treina todo dia numa posição esperando sua oportunidade, e quando ela surge é ocupada por um outro jogador de posição distinta.

A questão é o que leva treinadores a adotarem tal pratica ? Não vejo outra resposta que não seja a vaidade. O técnico de futebol hoje é um sujeito absolutamente vaidoso. O sucesso de determinado jogador significa o sucesso de sua aposta e escolha. Suas idiossincrasias estão acima de tudo.

E o ônus disto?

Ah, o ônus desta aposta fica com quem gosta do bom futebol. E TIRA A MÃO DE MIM!!!

Por Jota Barros, o homem da polêmica

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Sem categoria

2 Respostas para “Versatilidade ou irracionalidade?

  1. zeca

    Eh.. seu jotabarros, foi o tempo de King, Piolin e Virgílio, ZÉZE, ZARZUR E NORONHA, e dos técnicos, Tim, Zezé e AYMORÉ Moreira, Oswaldo bRANDÃO, FEOLA

  2. oz´bourne

    olha barrywhite, esse negocio de criticar tecnico de futebol virou moda.
    vc se lembra do palmeiras antes do atual muricy, não chegava a lugar nenhum, hoje tá lá.
    pode não levar a taça , mas é por descuido dos marmanjos em campo.
    tá na hora dos patrocinadores olharem e valorizarem mais os tecnicos e cobrarem mais dos jogadores, se não eles vão matar a galinha dos ovos de ouro , que na verdade é o clube. Sem titulo não tem midia!!!!!!!!!!!
    vide caso Corinthias.
    Demais a mais vc não entende Bulhufas de Futebol, no minimo torce para o Comercial!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Vai trabalhar sua ANTA!!!!!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s